Peru

Machu Picchu com crianças: a experiência com nossos trigêmeos

Como ocorre com a maioria das pessoas, a visita a Machu Picchu era o ponto alto de nossa viagem ao Peru e, na prática, a razão pra viagem ter acontecido. Exatamente por isso me cerqueira de alguns “luxos” para aumentar as chances de termos uma boa experiência em Machu Picchu. Como já expliquei nesse post, optamos por fazer duas subidas a cidadela inca, pra aumentar nossas chances de ter uma boa vista da cidade, principalmente por estarmos viajando no período chuvoso. Visitamos Machu Picchu na tarde do primeiro dia, entre 15 e 17h, e na manhã do segundo, entre 9:30 e 12:30.

Claro que essa estratégia encareceu bastante a viagem, já que o ônibus pra Machu Picchu e a entrada nas ruínas são os itens mais caros. Mas realmente foi um luxo que eu preferi fazer, pra não me arrepender depois…

Para saber mais sobre o roteiro de nossa viagem para Lima e Cusco clique aqui e para saber sobre nossas hospedagens, etc, clique aqui.

Quando fechei nossos tours privados em Cusco com o Rafael, nosso guia, ele ofereceu um guia de confiança dele em Machu Picchu e optamos por fechar com ele, e isso foi super acertado! Fechamos o guia para a primeira visita e fizemos por conta no segundo dia, seguindo algumas sugestões que o guia nos passou.

O que mais gostamos dessa estratégia de visitar Machu Picchu em dois dias, foi que pudemos dividir o tour na cidadela, e fazer uma parte em cada dia, de forma que pudemos curtir mais cada parte, e que ficou menos cansativo, pra nós adultos, e pras crianças.

Além disso tivemos a oportunidade de ver Machu Picchu bem vazia na tarde do primeiro dia, o que foi excelente!

De forma geral é muito importante estar atento com as crianças durante o passeio em Machu Picchu, pois tem muitas áreas íngremes, e bem perigosas, sem proteção. Foi ótimo ter ido com as crianças já com 7 anos, pois, além deles já ficarem atentos as explicações do guia, também tem uma boa noção do perigo e sabem obedecer as regrinhas, tornando mais tranquila a visita.

O Carlinhos, nosso guia no primeiro dia foi super atencioso com as crianças e as conquistou em pouco tempo, de forma que eles só queriam ficar ao lado dele durante o tour.

Machu Picchu bem vazia no primeiro dia de tour e nosso guia com as crianças

É importante ressaltar que é muito importante levar protetor solar, chapéu, e muita água pro passeio, pois, como nas demais ruínas que visitamos, a área é muito aberta e praticamente não tem sombras. Os banheiros estão localizados apenas do lado de fora das ruínas, então aproveite pra usar antes de entrar. Lanchonete também está disponível apenas do lado de fora, mas nem chegamos a ir. Dentro das ruínas não é permitido comer, mas vimos varias pessoas comendo até próximo dos guardas e não vi ninguém falar nada…

Mas vamos lá as visitas propriamente ditas…

Primeiro dia

Na nossa primeira visita a Machu Picchu encontramos com o nosso guia do lado de fora dos guichês de entrada, apresentamos os tickets e passaportes, e entramos. No caminho de entrada já conversei com o Carlinhos e expliquei que o Fernando não estava muito bem, e perguntei se poderíamos começar o passeio por uma área menos íngreme, pra que ele sentisse se estaria em condições de seguir. Conforme expliquei em outro post o Fernando passou mal na noite anterior e apesar de não estar mais com piriri, ainda estava se sentindo bem fraco. O guia foi super atencioso, e nos sugeriu fazermos a parte baixa das ruínas nesse primeiro dia, e nos mostrou o caminho que poderíamos seguir no dia seguinte pra fazer a visita a parte alta. Felizmente o Fernando ficou bem e conseguimos fazer a parte planejada do passeio sem problemas.

Nesse dia atravessamos os terraços e seguimos o caminho da parte baixa, passando pelo Templo do Sol, as casas dos nobres, a fonte ritual e a residência real. Subimos um pouco mais passando pela Plaza Sagrada, onde esta o Templo das 3 janelas, o Templo Principal. Nesse local tivemos o primeiro encontro com uma das famosas lhamas de Machu Picchu. Mas foi breve pois ela estava um pouco assustada e logo seguiu caminho entre as ruínas.

O Templo do Sol (acima a esquerda), fontes de água (acima a direita) e a Plaza Sagrada, o Templo de Três Janelas e o Templo Principal

Chegamos até a Rocha Sagrada de onde pudemos ter uma boa vista da montanha Wayna Picchu e do Templo da Lua, lá em cima! Dali seguimos andando por baixo passando por uma grande praça e por diversas construções que funcionavam para diversas finalidades. Já no final passamos pelo Templo do Condor, e dai, seguimos em direção a saída da cidadela.

A Rocha Sagrada e a vista de Wayna Picchu

Segundo dia

Nesse dia, assim que chegamos aproveitamos pra carimbar nossos passaportes com o carimbo de Machu Picchu. O carimbo fica em um balcão próximo a entrada dos banheiros e você mesmo faz o carimbo. Entramos na cidadela e seguimos a sugestão dada pelo nosso guia no dia anterior, e subimos direto para a parte alta das ruínas, logo ao final dos terraços. É o mesmo caminho que leva até Intipunku, o portão antigo da cidadela, que é também o acesso pra quem vem pela trilha inca.

Vistas da parte de cima de Machu Picchu

Não chegamos até o portão, e entramos na área de guarita dos guardas, que tem uma bela vista da cidade por cima. Além disso a área tem vários terraços muito bonitos! E tivemos oportunidades de ver varias lhamas pastando por ali, algumas que chegaram bem próximo e estavam bem calmas.

As lhamas de Machu Picchu

Ficamos um bom tempo ali na parte alta, andando e apreciando a vista.

 

Mais vistas a partir da parte alta de Machu Picchu

Descemos novamente até a Plaza Sagrada, onde já havíamos estado na véspera, e conforme sugestão do guia da véspera, subimos a Intihuatana, que é um monte onde ficava localizado um observatório astronômico. Nesse dia as ruínas estavam bem mais movimentadas que ns véspera, e a subida e descida, apesar de serem curtas foram lentas, praticamente em fila indiana. Passamos novamente pela Rocha Sagrada, vimos novamente Wayna Picchu, e seguimos rumo a saída da cidadela, explorando as diversas construções pelo caminho, extasiados com a beleza do lugar e das montanhas florestadas do seu entorno.

O relógio do sol, a descida de Intihuatana e outras construções da parte baixa

Saímos com uma sensação ótima, de ter cumprido o que planejamos, e de ter tido a oportunidade de conhecer, não apenas Machu Picchu, mas tantos lugares incríveis no Peru, e mais do que isso, por termos tido a oportunidade de proporcionar essa experiência incrível para nossos filhos.

Mais algumas vistas e detalhes desse lugar incrível

2 thoughts on “Machu Picchu com crianças: a experiência com nossos trigêmeos”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s