Diversos

10 dicas de viagem que só uma mãe pode dar

Desde que comecei a acompanhar alguns grupos de viagem em família no Facebook virei leitora assídua de blogs de viagem em família e amei as blogagens coletivas, que é quando diversos blogs amigos publicam posts com um mesmo tema.

Durante alguns anos acompanhei esse movimento como leitora e fã, e em diversos momentos me peguei pensando em como seria o “meu post” para aquela blogagem coletiva.

Finalmente agora, após alguns anos como telespectadora, tenho a oportunidade de participar da minha primeira blogagem coletiva! E com nada menos do que a grande maioria dos blogueiros que me inspiraram a me lançar no mundo com meus filhotes!!!

E que venham muitas outras blogagens coletivas!

Indo ao tema do post, o assunto dessa blogagem coletiva, selecionado por um grupo de Blogueiros de Viagens em Família de que participo, foi 10 dicas de viagens de família que só uma mãe pode dar.


Muita gente vive me perguntando como consigo viajar com trigêmeos. E minhas dicas são exatamente as estratégias que uso, de forma geral, pra que nossas viagens sejam consideradas incríveis pra nós. É tudo perfeito? Claro que não!!! Tem perrengue? Claro que sim!!! Mas nossas experiências viajando em família tem sido maravilhosas, e sempre o que fica são os bons momentos e a vontade de “botar o pé na estrada” de novo!

Então vamos lá as minhas dicas! Vale ressaltar que elas não estão em ordem de importância, e que nenhuma delas é uma suuuuper novidade! A maioria delas eu recebi de alguém e coloquei em prática, ou adaptei a nossa realidade. E viraram meio que nossas regrinhas de ouro pro sucesso das nossas viagens!

1. Estimule seu filho a gostar do mesmo tipo de atividade que você (s) gosta (m)

Acho muito importante introduzir a criança, o mais cedo possível no tipo de atividade que os adultos da família (pais, mães, irmãos mais velhos, etc) gostam de fazer. Se vocês adoram praia, levem seu filho a praia assim que o pediatra liberar! O mesmo funciona para famílias que gostam de trilhas, navegar, mergulhar… Quanto mais cedo e com mais frequência a criança tiver contato com essas atividades, mais ela se torna familiar, e maiores as chances de ela gostar também! Claro que as crianças tem suas vontades e suas preferencias, mas podemos dar uma mãozinha. Nós, por exemplo, sempre gostamos de viajar de carro e desde que as crianças tem 7 meses que fazemos viagens de carro com eles. Também adoramos destinos de natureza (cachoeiras, parques, etc.), então desde que as crianças são bem pequenas frequentamos esse tipo de destinos com eles. No inicio fizemos visitas a parques aqui perto mesmo, e aos poucos fomos alçando voos maiores.

Desde bem cedo acostumamos as crianças a viajar de carro e fazer o tipo de atividades de que gostamos. Acima e a esquerda, visitando a Basílica de Aparecida do Norte; acima e a direita, visitando o Parque Nacional da Tijuca e São Thomé das Letras e abaixo, aproveitando uma corredeira em Paraty

2. Aguce a curiosidade sobre o destino

Quando eles estavam com 5 anos, no planejamento de nossa roadtrip pelos lagos andinos, fizemos juntos o calendário de contagem regressiva da viagem, seguindo dicas do Blog Malas e Panelas, e foi muito legal! Escolhi fotos que retratavam a cultura, as paisagens, os atrativos, os animais e as comidas locais. E a cada dia sorteávamos 1 foto e eu falava um pouco daquele tema, de forma simples e lúdica. Eles amaram!Para ajudar nesse processo, sempre preparo um livrinho de atividades pra eles, com assuntos relacionados ao destino. O inicio fazia livrinhos para colorir. Da ultima vez, pra nossa viagem pro Peru em janeiro de 2017, fiz um livro com pequenos textos e atividades (caça palavras, palavras cruzadas, etc.). Eu mesma faço esses livrinhos, de forma artesanal e buscando informações na internet. Eles amam, e também funcionam super bem como passatempo em restaurantes ou quando precisamos aguardar em filas, etc.

Mais recentemente, como eles já estão lendo, tenho usado alguns livros e sites para aguçar a curiosidade, e também filmes, quando existem.

Esse é uma dica que segui, que deu super certo pra nós, e que repasso! Falar sobre a viagem, sobre o que tem no lugar,os costumes locais, idioma, comidas, roupas. Isso, além de preparar um pouco a criança para o que vai ver, aguça a curiosidade para “ver ao vivo” e aumenta o interesse e o aproveitamento da viagem. Apesar disso, tento evitar concentrar todo o foco da viagem em um tema único, para evitar frustrações extremas. Por exemplo, se focar toda a expectativa de uma viagem ao litoral sul da Bahia em ver baleias, e chegando lá não conseguirmos ver, acaba dando a sensação de fracasso geral… Então é interessante levantar também outros possíveis atrativos/pontos interessantes que serão vistos. Aproveitar pra explicar o quanto é difícil ver baleias, o pouco tempo que elas passam na superfície comparando com o que ficam dentro da água. Ou seja, aproveitar a oportunidade pra preparar a criança pro que ela vai encontrar e também pras possíveis frustrações.

O Calendário de Contagem Regressiva que fizemos para nossa viagem aos Lagos Andinos e o Livro de Atividades da Viagem para o Peru são estratégias que costumo usar para introduzir temas sobre o destino e preparar as crianças. Os livros de atividades são super úteis nos restaurantes durante as viagens também.

3. Seja flexível e relaxe! Vocês estão de férias! 

Acho que boa parte das vezes que as pessoas me falam sobre as dificuldades que encontram em viajar com filhos, o que é relatado é o estresse para manter a ritmo de alimentação, sono, etc. E realmente, se formos tentar manter toda a rotina do dia a dia em um lugar diferente e com uma dinâmica diferente, tenho certeza de que vira um estresse! Eu sempre parti do princípio de que férias são férias! Ou seja, nas férias as crianças podem comer fora da hora, almoçar sanduíche e até biscoito em uns dias, dormir e acordar fora do horário, dormir um dia sem tomar banho… Claro que não é tudo junto e nem tudo todos os dias, e tentamos manter um mínimo de “ordem”, se não também vira uma loucura. Mas não nos estressamos com horário de almoço. Sempre temos um lanche com a gente pra quando a fome apertar, e as vezes só lanchamos no almoço. Mas tentamos, sempre que possível, fazer ao menos uma refeição direitinho no dia. Se o dia foi extremamente cansativo e chegamos todos acabados no hotel, dar banho nos 3 é uma tarefa beeem cansativa… Então assumo, já deixei eles dormirem sem tomar banho nas viagens… Realmente parto do principio de que são férias, e que não precisamos seguir todas as regras do dia a dia tão a risca. E sempre converso com eles e explico, desde que são bem pequenos, de porque eles podem ir dormir mais tarde nas férias e não no dia a dia, e o mesmo com refeições e demais itens. Com isso, eles nunca me cobraram o mesmo comportamento em casa. Eles entendem que existem regras do dia a dia e exceções nas férias. Claro que isso não se aplica a questões de educação! Essas não tem férias nunca! Sempre tem que ser educado com os outros, respeitar as pessoas, etc, tanto no dia a dia quanto nas férias.

4. Deixe alguns momentos livres no roteiro 

Quando viajamos com crianças, o ritmo é outro. As atividades são feitas mais devagar. Atravessar uma praça pode levar uma hora se tiver um parquinho ou um cachorro no caminho. Caminhar um quilometro sozinho ou com outro adulto é bem mais rápido do que com uma criança, seja no colo, ou de mãos dadas. Conte com esse tempo na programação das atividades. Além disso as crianças as vezes sentem falta de fazer alguma atividade simples, que ela está acostumada a fazer no dia a dia. Meus filhos por exemplo sempre levam alguns brinquedinhos e adoram ficar um tempinho no quarto do hotel brincando com eles. Se passamos 2 ou 3 dias em um ritmo mais intenso, saindo cedo e chegando tarde eles reclamam que querem brincar. Já sabendo disso eu deixo um tempinho livre pra eles brincarem um pouco, ou logo cedo, ou antes de sair pro jantar, ou mesmo meia tarde livre. Quanto maior a duração da viagem, mais eles sentem falta desses momentos da rotina de casa, como ver um desenho ou brincar com os brinquedos deles. Deixar esse momento livre faz com que eles fiquem mais felizes, e diminui o risco de estresse.

Costumo deixar um tempo livre no roteiro, tanto para as crianças brincarem no hotel, quanto para se divertirem durante os passeios, sem cronometrar muito

5. Respeite as vontades e ritmo de cada um 

Na verdade essa dica é sobre maternidade/paternidade: respeitar a criança como uma pessoa e ensina-la a respeitar os pais como pessoas. Mas, como nas viagens tudo é mais intenso, acho que essa é uma dica importante que tem que ser exercitada também no preparativo das viagens com crianças. Querer fazer tudo em uma única viagem e praticamente impossível! Quando começamos a pesquisar um destino vão aparecendo mil opções, e é muito importante mesclar as atrações para agradar a todos. Pensar no ritmo dos integrantes da família também e um ponto super crítico! Se algum integrante da família gosta de dormir até mais tarde, colocar dias seguidos programas que iniciam super cedo pode tornar a viagem um martírio. Tente revezar dias mais intensos, com dias mais tranquilos, e colocar ao menos dia sim dia não programas que agradem os diferentes integrantes da família. Nesse ponto, é importante lembrar que os adultos também tem vontades! Ou seja, incluir programas mais pra adultos, e ensinar as crianças que os pais também tem os programas que eles gostam, é uma ótima forma de exercitar o respeito mutuo!

Um piquenique ao final da trilha no Cânion Fortaleza, visita a um museu de “pedras preciosas” no centro histórico e um banho inesperado de chafariz, são exemplos de programas que inserimos ao longo do dia para tornar o roteiro mais atrativo para as crianças.

6. Organize documentos com antecedência 

Assim que fechar uma viagem (ou até antes de fechar), confira os documentos necessários (visto, passaporte, carteira de identidade atual, permissão internacional para dirigir, carteira de vacinação, etc.) e já faça uma conferência se está tudo certo pra viagem (validade de passaporte, carteira de identidade e visto). Com antecedência já reúna os documentos e deixe tudo junto em um local seguro, mas que você não esqueça. De preferência divida essa informação com alguém de confiança, pra caso você esquecer onde guardou… Eu costumo fazer um checklist com todos os documentos que preciso levar, e vou colocando tudo em uma pasta de elástico, que coloco na mochila que levo na viagem. Também tenho hábito de tirar uma cópia de tudo e colocar na mala que vai despachada, e enviar uma via digital deles pro meu email. Assim em um caso de perda ou roubo tenho vias digitais que são uteis para tirar uma via de emergência durante a viagem.

7. Leve os remédios necessários (pra viagem e no vôo) 

Acho muito importante levar uma farmacinha com os medicamentos mais importantes (aqueles que costumo ter em casa para emergência). Em geral levo antitérmicos, termômetro, bandaid, spray antisséptico, antialérgico, pomada pra picada de mosquitos, pomada pra assadura, remédio pra vomito, e a bombinha de asma do Francisco. Mas é importante verificar com o pediatra do seu filho o que ele aconselha levar. Eu sempre levo esses medicamentos pra onde quer que eu vá, seja uma viagem de carro pra perto, ou de avião pra mais longe. Nada impede que, mesmo estando perto a criança tenha uma febre a noite, e essa farmacinha evita ter que sair correndo a noite pra procurar uma farmácia. Conforme as crianças cresceram, o tamanho da farmacinha diminuiu, e hoje cabe tranquilamente em uma necessaire média, que está sempre pronta pra viajar. Quando fecho uma viagem só confiro as validades dos remédios e vejo se preciso providenciar algum franco novo. Também tenho um checklist combos remédios pra levar (é, sou a louca dos checklists… Rsrsrs)

8. Substitua a bolsa por mochila 

Essa foi uma dica de ouro pra mim, e a replico aqui. Quando for pegar vôos ou fazer passeios com as crianças, use uma mochila (ou bolsa a tiracolo) que deixe suas mãos livres. Você vai precisar delas livres o tempo todo com crianças! Eu particularmente adoro usar mochila! Acho prático, e cabe mais coisas! Eu uso uma, e o Fernando usa outra, tanto nos vôos quanto nos passeios. Acostumei tanto que comprei uma bolsa mochila que uso aqui no Rio nos finais de também! Outra dica importante nesse tema é tentar organizar e ser metódico quanto a onde você guarda cada coisa na mochila. Não tem nada mais estressante do que ter que tirar tudo da mochila pra conseguir encontrar onde guardou a chave do quarto, ou o oucher impresso de um evento… Principalmente se tiver uma fila com varias pessoas esperando atrás.

9. Acostume as crianças a organizar e levar suas coisas 

Essa foi outra dica que adotei, amei, e por isso replico aqui. Vá, aos poucos, dando responsabilidades para as crianças na organização das coisas que vão levar, e deixando que elas levem algumas coisas. Meus filhos tem, cada um sua mochilinha para as viagens, e alguns itens de viagem eles mesmos levam. Eles arrumam os brinquedos que vão levar, e arrumam a própria mochila, com minha orientação. Cada vez tenho precisado me envolver menos nessa atividade, pois eles agora já perceberam que não da pra levar muitos brinquedos, por que não cabe, ou fica pesado. E em cada viagem, conforme eles crescem tenho também aumentado a responsabilidade deles. Na nossa última viagem, pro Peru, para os passeios cada um carregava sua garrafa de agua, seu casaco, seu lanche e sua capa de chuva. E cada um arrumava sua mochila antes de sair pro passeio (claro que antes de sair eu sempre perguntava e pedia pra eles conferirem tudo). Essa estratégia aumenta o senso de participação na viagem, a responsabilidade, e o companheirismo da família!

Cada um com sua lontra de pelúcia e sua mochila no aeroporto, e cada um carregando sua mochila e seu casaco no passeio em Machu Picchu

10. Aproveite cada minuto juntos, eles crescem… Muito rápido! 

Essa dica não tem muito pra falar, é bem auto explicativa… Aproveite cada minuto e cada segundo, de cada destino, seja longe ou seja perto! Aproveite cada fase, cada refeição junto, cada passeio, as conversas no carro, as descobertas, e até as frustrações. O tempo passa rápido! Tanto na viagem, quanto na vida!

Aproveite todos os momentos, ao máximo, seja para tirar uma selfie aguardando o sol se por, curtindo uma praia, ou tirando “fotos jacus” juntos

E você, já usa alguma dessas estratégias (ou todas)? Tem alguma dica de ouro que gostaria de me passar? Deixe seu recado ai embaixo nos comentários!

Para ler os posts de todos os blogs que participaram desta Blogagem Coletiva, entre nos links abaixo:

47 thoughts on “10 dicas de viagem que só uma mãe pode dar”

  1. Amei seu post! Concordo com tudo! Adorei a ideia da via digital dos documentos, muito boa… Também sou super a favor de um tempo livre, pra fazer o que quiser. Esse papo de que “não vou descansar em euros”, pra mim não cola! De que adianta lotar o dia de atividades, e depois nem lembrar direito? Muitas vezes, os momentos de “dolce far niente” em um parque ou mesinha de café são os que ficam registrados na memória com mais intensidade, né? Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Bem…10 dicas X 3 = 30 super dicas…rsrsr. muito bacana ser mãe de trigêmeos, parabéns! Ser flexível e deixar momentos livres, são ótimas dicas e que irão te acompanhar até ficarem maiores, como os meus e isso dá super certo. Feliz dias das mães triplicado. beijo.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Helen, viajar com os três deve ser uma festa! Acho que aguçar a curiosidade dos pequenos ajuda e muito. O Biel adora isso. Adorei seu post e que venham muitas blogagens coletivas pela frente. Bjs

    Curtido por 1 pessoa

  4. oi Helen
    Já comentei contigo que tenho um respeito GG por você viajar com trigêmeos. rs
    Sobre as dicas, praticamos algumas aqui em casa também. Se alguém te criticar por ser a louca dos checklists, manda falar comigo. hahahaha
    ahhh, se te ofenderem por ser a louca da farmacinha, idem! =)
    Bjks
    Adriana

    Curtido por 1 pessoa

  5. Excelentes dicas, parabéns pelo post! Adorei a ideia do calendário e dos livrinhos que vc faz, eles deve adorar! Aqui, como não tenho esses talentos, tenho comprar alguns cadernos de atividades e sempre faz sucesso. Preciso ensinar minha filha a carregar a propria mochilinha, ela até se anima na hora de sair, mas logo reclama que está pesada e entrega pra gente.
    Deve ser uma diversão viajar com os 3, e o mais legal é que eles tem companhia pra brincar seja onde for!
    Abraços e feliz dia das mães!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Kelly, obrigada!!! Realmente eles são excelentes companheiros um pro outro… Quanto a mochilinha, vai colocando as coisas aos poucos… No inicio eles só levavam um brinquedo e o caderno de atividades. Aos poucos fui aumentando os itens… 😉

      Curtir

  6. Helen, assim como muitas mamães aqui, também te respeito muito por viajar com trigêmeos! Todos na mesma fase. Só imagino como era mais trabalhoso quando eram menorzinhos. Agora acredito que o trabalho esteja ficando mais fácil, ou não?? kkkkk A primeira dica é o carro chefe por aqui, estimulamos a gostarem do que gostamos e tem dado certo, até porque no meio de tudo isso inserimos atividades que eles gostam. Parabéns pelo post e pelas dicas! Um beijão!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s